Brasil a frente de todos, Silvana Prata em trio de ouro


4Vice de Silvana Lima garante liderança do Brasil no ISA Jogos Mundiais de Surf 2019 no Japão

 A imagem pode conter: 1 pessoa, sorrindo, em pé e atividades ao ar livre

Silvana Lima Foto CBSurf

Tatiana Weston-Webb foi quinta geral e do masculino só Medina falta estrear



Brasil com 1830, Peru com 1740, Estados Unidos com 1645, Austrália com 1613 e África do Sul com 1440 pontos computados ao final do surf feminino do Jogos Mundiais de Surf em Miyazaki, Japão, com vitória da peruana veterana ex campeã mundial Sofia Mulanovich que só não garantiu a seleção do Peru liderar porque a brasileira Silvana Lima, sendo vice campeã, somou 860 pontos ao superar na decisão a sul-africana Bianca Buitendag (bronze com 3° lugar)  e a norte-americana líder do tour Carissa Moore (Medalhe de Cobre com 4°), do terceiro do ranking Estados Unidos, enquanto a também favorita Austrália ocupa o quarto lugar.

E foi parando na penúltima bateria feminina, a final da repescagem, que ficou a vice líder e. melhor australiana do ISA Games Sally Fitzgibbons com a brasileira Tatiana Weston-Webb sendo eliminada a sua frente garantindo quinta posição geral.

O trio verde-amarelo feminino garantiu ao trio masculino iniciar disputas nesta terça-feira no Japão com vantagem de 90 pontos.

Dois deles já estrearam e venceram confrontos Filipe Toledo, melhor da segunda bateria, e Ítalo Ferreira, vencedor da sexta disputa da rodada de estreia, que tem Gabriel Medina escalado pelo Brasil na bateria 34, que acontece esta noite, manhã de quarta-feira no Japão.

 A imagem pode conter: 1 pessoa, sorrindo, oceano, céu, nuvem, atividades ao ar livre, água e natureza

Ítalo contra o tempo

 

 Presente em Miyazaki, o presidente da CBSurf  Adalvo Argolo vibra com os bons resultados do Brasil na praia de Kisakihama, a exemplo do avanço de Ítalo Ferreira que, para não desfalcar o Brasil na estreia, superou as dificuldades causadas pelo recente furto de seu passaporte nos Estados Unidos.

E as dificuldades continuaram após o pouso forçado de Ítalo em Nagasaki após tufões fecharem o espaço aéreo em Tóquio, seu destino inicial previsto.

Ítalo sequer aguardou suas pranchas desembarcarem, seguindo para disputar a sexta bateria da abertura masculina onde chegou com a bateria faltando oito minutos para seu encerramento e conseguiu vencer somado média acima de 13 pontos e tendo 8,33 na melhor onda, surfada com prancha emprestada pelo companheiro Filipinho, já devidamente preparada para que ele, que pulou o cercado do evento para conseguir entrar e vencer.

"- Foi uma missão! Quando eu pousei, fui correndo do aeroporto para a competição e não tive tempo de pegar a bagagem. Quando eu cheguei, a minha bateria já estava acontecendo e eu precisava de 12 pontos para ficar em primeiro. Faltando 1 minuto, eu fiz a melhor nota, surfando com a prancha do Filipe e com a  bermuda jeans da viagem. Deu certo. Foi doid o! - disse Ítalo."

 A imagem pode conter: 2 pessoas, pessoas sorrindo, oceano, barba, céu, praia, atividades ao ar livre, close-up e água

Ítalo Ferreira e Adalvo Argolo

 

Vasco na ponta

Computando uma nota 8 pontos na soma, Filipe Toledo fez a sétima melhor média (14,27) entre os que estrearam.

O português Vasco Ribeiro fez recordes  15,17 pontos, seguido pelo marroquino

Ramzi Boukhiam com 15.06 e por Vicente Romero, representante espanhol a vários anos que somou 14,67 e a quem Filipe Toledo, em 2010, sucedeu no título Sub 18 da Confederação Brasileira de Surf, (CBSurf), em cujas disputas até 2010 Romero representou Santa Catarina, atual campeã brasileira entre seleções, estado que na disputa dos Jogos Mundiais de Surf contribuiu através de Tainá Hinckel, a mais jovem do trio feminino de ouro do Brasil no Japão.

 

O trio masculino agora vai em busca dos máximos 2590 pontos que medalha de ouro, prata e bronze no pódio proporcionam e assim fechar com medalha de ouro também a disputa por países dos Jogos Mundiais de Surf em que a ISA (Associação de Surf Internacional) até domingo assegurará pelo torneio uma vaga olímpica masculina da Oceania, Ásia, Europa e África, enquanto a da América está hoje com o peruano Lucas Mesina, que a exemplo da compatriota Daniella Rosas, também venceu o classificatório Pan de Lima 2019.

 

Ouro – Sofia Mulanovich (PER)

Prata – Silvana Lima (BRA)

Bronze – Bianca Buitendag (RSA)

Cobre – Carissa Moore (USA)

 

Melhores médias do dia

 

H#    Competitor    Country    Best    Pts

7    Vasco Ribeiro    POR    |8.50+6.77|    15.27

9    Ramzi Boukhiam    MAR    |8.23+6.83|    15.06

14    Vicente Romero    ESP    |7.67+7.00|    14.67

27    Manuel Selman    CHI    |7.40+7.20|    14.60

11    I Ketut Agus Aditya    INA    |8.10+6.43|    14.53

13    Kanoa Igarashi    JPN    |7.77+6.73|    14.50

2    Filipe Toledo    BRA    |8.00+6.27|    14.27

10    Billy Stairmand    NZL    |7.83+6.30|    14.13

11    Frederico Morais    POR    |7.50+6.63|    14.13

1    Julian Wilson    AUS    |8.00+6.10|    14.10

8    Edito Alcala Jr    PHI    |9.17+4.93|    14.10

27    Shane Campbell    CAN    |7.17+6.87|    14.04

16    Jeremy Flores    FRA    |7.07+6.83|    13.90

15    Noe Mar McGonagle    CRC    |7.50+6.33|    13.83

18    Angelo Bonomelli    ITA    |7.00+6.67|    13.67

3    Roberto Araki    CHI    |7.33+6.33|    13.66

25    Kolohe Andino    USA    |6.83+6.77|    13.60

3    Peter Devries    CAN    |6.83+6.67|    13.50

6    Italo Ferreira    BRA    |8.33+5.13|    13.46

 A imagem pode conter: 1 pessoa, em pé, chapéu e atividades ao ar livre