Brasil completo no ISA World Surfing Games


Ondas inconstantes e países da elite fora do pódio no ISA Games França

Primeiro evento visando círculo olímpico teve Brasil apenas em oitavo; logo atrás dos Estados Unidos

O surfe brasileiro foi representado até este domingo, nas ondas do ISA World Surfing Games em Biarritz, França, por um sexteto formado pela dupla feminina Jaqueline Silva e Suellen Naraísa e por mais quatro atletas no masculino: Weslley Dantas, Elivelton Santos, Raoni Monteiro e Ian Gouveia, este o único do trio de atletas brasileiros do WCT anunciados inicialmente que acabou desfalcado por problemas médicos.

A equipe do Brasil foi das mais completas em termos de staff, contando inclusive com preparador físico, além de técnico geral, Gabriel Macedo, e uma técnica para o surfe feminino, mais a presença do presidente da entidade Adalvo Argolo, do vice Guilherme Pollastri, de auxiliares técnicos e de um jovem casal ranqueado da CBSurf que foi reserva do time.

No masculino o Brasil foi surpreendido cedo, especialmente quando a dupla franco-favorita Weslley e Elivelton foi superada na abertura da fase quatro pelo luso brasileiro Pedro Henriques, terceiro geral representando Portugal, e pela surpresa mexicana Jhony Corso, que no domingo seria campeão com o francês Joan Duru sendo prata no pódio em que por equipes seu país, a anfitriã França, faturou o ouro por antecipação já no penúltimo dia.

Uma pena não termos avançado (da fase quatro). Nosso time, principalmente no masculino, estava entre os melhores da competição, mas campeonato de surfe às vezes é imprevisível. Uma hora ruim do mar, aquela onda que falta. Isso tudo pode determinar uma vitória ou uma derrota. Queria agradecer o empenho de toda a equipe e do Ministério do Esporte, que abraçou o surfe.Foi também um aprendizado para buscarmos o melhor caminho até Tóquio. O Mundial ainda trouxe fatos novos para a CBSurf, que, fortalecida, vai ter mais possibilidades de fazer um trabalho consistente para os Jogos de 2020. Vem muita coisa boa por aí. Estamos confiantes” - disse o presidente da CBSurf, Adalvo Argolo.

 

Biarritz já foi palco de etapa da elite mundial e inclusive da primeira vitória brasileira no exterior (em 1991), e justamente com o mesmo surfista que, representando o Brasil na edição de 1988, vencera em Porto Rico ao mundial da International Surfing Association: Fábio Gouveia.

Em casa

A vitória individual de Fábio, pai de Ian Gouveia, no ISA Games apenas se repetiria 12 anos depois com Fábio Silva, na ocasião o evento- que era bienal- aconteceu em Baía de Maracaípe, Porto de Galinhas, Ipojuca, Pernambuco, e o anfitrião Brasil faturou por países sua primeira e única edição do ISA World Surfing Games, o que a CBSurf pretende ver repetida novamente em casa, para tanto Adalvo Argolo, na presença e com o aval do Ministro do Esporte Leonardo Picciani, entregou ao presidente da ISA Fernando Aguerre carta de intenção do Brasil para sediar em Búzios, Rio de Janeiro, a edição 2018, também pleiteada pelo Japão e outros países.

 “Foi uma satisfação muito grande conhecer o ISA Games e poder encontrar o Fernando Aguerre, uma liderança no surfe mundial. Tivemos a oportunidade, junto com o Adalvo, de trazer nosso posicionamento de que nós acreditamos muito no surfe e que vamos cada vez mais buscar estruturá-lo como um grande esporte, saudar a ISA pela inclusão no programa olímpico e de conversar com o Fernando sobre estes temas. E de ver também a Confederação Brasileira de Surf tomando um caminho excelente de governança e estruturação, que renderão bons frutos para o país” disse Picciani.

 

Excelentes notas

 

O quarteto masculino mostrou qualidade para está na competição, e justamente os dois atletas que a CBSurf convocou por último, Elivelton Santos e Raoni Monteiro, tiveram as melhores notas individuais, mostrando que estão em ritmo de evolução constante, seja Raoni, carioca ex-integrante da elite mundial onde cumpriu suspensão, e Elivelton Santos, que este ano apenas competira em três eventos: na etapa de abertura do circuito da Paraíba; no vizinho Rio Grande do Norte e mais recentemente na etapa de abertura da Confederação Brasileira de Surfe no Pará, todas vencidas por ele que é índio e conquistou, entre 2010 e 2014, os quatro títulos da Confederação partindo sempre de uma aldeia da reserva dos potiguaras na Baía da Traição no litoral norte paraibano.

Weslley Dantas chegou na condição de atual campeão mundial Sub 18 da ISA e foi o melhor colocado brasileiro nas pequenas e inconstantes ondas da Grand Plage de Biarritz, que contribuíram  também para que, a exemplo de em seguida Raoni, Ian Gouveia fosse barrado na competição por pequena margem e por um surfista do Japão, país que em 2020 sediará á primeira Olímpiada com surfe e quer em 2018 receber ao mesmo ISA Games que o Brasil pleiteia.

 

 

 

 resultados completos em  http://isaworlds.com/wsg/2017/pdf/wsg-2017-final-results.pdf

 http://isaworlds.com/wsg/2017/en/teams/

 

.